RPG do Mestre apresenta

Weekly

Edição 4

Essa semana está repleta de discussões. Começamos a discussão do quanto um autor/escritor recebe (tanto na cena RPGística quanto fora); Depois, uma sobre pirataria de livros; e também temos uma sobre RPGs gratuitos (#poucaGranaRPG) ou bem baratos, que surgiu para "combater" a de pirataria.

Além dessas discussões, soubemos que o financiamento do Things from the Flood, expansão do Tales from the Loop (não será preciso do último para jogar o primeiro) está para começar; vimos dicas de mestre (gringas e nacionais); e mais. Veja abaixo o que selecionamos!

Notícias

Return of the Lazy Dungeon Master (Sly Flourish - em inglês)

Michael E. Shea, do Sly Flourish, lançou nessa semana (dia 06/09 pra ser exato) um livro para auxiliar mestre de RPG, em especial D&D 5e, a conseguir mais resultados nas campanhas ao preparar menos coisas para elas. Como o título diz, O Retorno do Mestre de Jogo Preguiço

Things from the Flood (Free League Publishing, via Twitter - em inglês)

A Free League Publish, criadora do aclamadíssimo Tales from the Loop anunciou no Twitter que dia 18 de Setembro teremos o início do financiamento coletivo do Things from the Flood, uma continuação para TftL em que jogamos, dessa vez, com adolescentes e as coisas, dessa vez, estão mortais (sim, os personagens dessa vez podem morrer!!!).

Savage Worlds mais barato (Retropunk Publicações, via Facebook)

A Retropunk Publicações anunciou essa semana que, desde 01/09 eles estão vendendo os livros físicos do Savage World 2a Edição e Compêndio de Horror mais baratos. Amnbos estão, agora, por R$60,00 e R$30,00 respectivamente. Vale notar, também, que os respectivos PDFs do livro básico e do compêndio também estão mais baratos: R$18,00 e R$12,00__, respectivamente.

Artigos

Running Hags (Sly Flourish - em inglês)

Lá no Sly Flourish também vimos um artigo sobre como usar bruxas/feiticeiras como mini-chefes e como usá-las sem se preocupar muito com seus atributos e fichas, mas como as manipuladoras e conspiradoras que são, e como isso inclinará os personagens a caçá-las e destruí-las.

Também consigo imaginar como usar essas ideias para outros tipos de personagens/vilões, como alto cleros, mão do rei/rainha, entre outros.

É possível utilizar o RPG em sala de aula (parte 2) (Mundos Colidem)

Deem uma lida nesse artigo/relato de experiência sobre como usar o RPG em sala de aula. Como sabemos que muitos RPGistas são professores (pelo menos conhecemos vários), esse artigo cai bem nessa nossa lista =)

The Far Side of the Table: Giving Players Metanarrative Information (Kobold Press - em inglês)

Jacob Huebsch apresenta o conceito de Informação Metanarrativa, isso é, informações que os jogadores podem/devem saber, mas os personagens dos jogadores não o sabem. Além disso ele fala um pouco sobre como dar essas informação e como lidar com sua existência para não atrapalhar o jogo.

Discussões

Apoie streamers/criadores de conteúdo (@TheLittleBeca, via Twitter)

Você curte algum vlogger/YouTuber? Curte algum podcast? Ou algum gamer (seja de jogos eletrônicos ou canais de stream de mesas de RPG)? Que tal apoiá-los mais ativamente?

A @TheLittleBeca fala exatamente disso nessa pequena discussão com um pouco mais de 115 comentários. Não precisa ser doando dinheiro (mas também pode, hein?), basta mandar mensagens de apoio, elogios, críticas polidas, não usar adblock no stream/site deles. Tudo isso ajudará a mantê-los focados e animados em criar novos conteúdos para você (nós) e custa quase zero para fazê-lo.

Neil Gaiman sobre autores desconhecidos (@neilhimself, via Twitter - em inglês)

Em uma discussão sobre a mídias especializada tem endeuzado produtos não finalizados que acabam não sendo tão bons assim, um certo comentário dizendo que você tem de ter histórico na indústria para poder ser contratado por grandes empresas como a DC/Marvel.

Da melhor maneira britânica possível (leia-se, ácida), Gaiman discordou e falou que a DC o contratou mesmo à epoca mesmo tendo apenas 3 pequenos contos publicados. Porém, eles curtiram suas "ideias" e entusiamos e decidiram arriscar na sua contratação. E se deram bem, não é?

E o que vocês acham?

JM Trevisan sobre pirataria (@JMTrevisan, via Twitter)

O link acima é só um dos vários tópicos sobre pirataria que o JM Trevisan tratou pelo Twitter. Esse em específico trata do quanto o autor de um livro brasileiro ganha em cima de cada cópia vendida de seu livro (isso se for o único autor, caso contrário, terá de dividir com os outros).

Também tivemos pontos sobre sites de pirataria que fazem companha de doação para continuar existindo; sobre estudos que apontam que apenas o mercado americano, devido os blocksbusters, é impactados pela pirataria; Tradução não oficial de material e a não necessidade de D&D para jogar RPG; e que não se reclama de quem compartilha com a pessoas sem grana ou localmente - tipo as cópias de livros de antigamente feita pelos grupos.

Enfim, não deixe de seguir o @JMTrevisan porque ele sempre traz muita discussão pertinente para a cena RPGística, além de você ficar sabendo de vários lançamentos da Jambô =D

#poucaGranaRPG (#poucaGranaRPG, via Twitter)

Esse link vai direto para todos os tweets que foram marcados com a tag #poucaGranaRPG lá no Twitter, que nasceu para rebater que é preciso dos scans/pirataria para poder jogar RPG. Porém, uma discussão bem bacana trazida pela Eva Andrade (@eievaandrade), são os vários jogos de RPG Gratuitos da Aster Edtiora, como o Travessias, Travessuras, Sonhos Tortos, etc.

Outra pessoa que trouxe vários tweets de livros baratos para a tag #poucaGranaRPG foi o Júlio Matos (@JulioMatosMKT). Temos os PDF de Dungeon World, Psy-Run e Violentina

Acolhimento de novatos no RPG (@JamesIntrocaso, via Twitter - em inglês)

RPG não é competição é interação, jogo de equipe. Nessa ideia, @JamesIntrocaso nos lembra que devemos acolher os novatos em nosso hobby da melhor maneira possível. Precismos de todos que queira adicionar algo bom em nosso nicho, não segregá-lo.

Discussão sobre sexismo na cena Gamer/RPG (@humanbard, via Twitter - em inglês)

Infelizmente, a cena Gamer (e a RPGista não está livre) é bem sexista, mesmo que "sem querer" (há controvérsias sobre ser ou não sem querer). Nessa discussão, várias mulheres falam sobre os casos de sexismos pelos quais passaram.

Vana, do Saving Throw e do Geek and Sundry também compartilhou seu caso. É triste ver que isso acontece com tanta frequência.

Em relação a escrita para RPG, o que fazer para obter inspiração? (@TheKindGM, via Twitter - em inglês)

Discussão interessante sobre como achar aquela inspiração para continuar escrevendo algo para seu jogo de RPG (seja sua campanha, seja material oficial se você for um autor, etc). Bacana para quem costuma ter bloqueio criativo e precisa buscar meios de ultrapassá-lo.

Dicas

Nem todas as vezes, o Twitter no trás grandes discussões sobre temas importantes ou interessantes. Porém, vários usuários famosos da cena RPGística trazem tweets com dicas. Não são discussões em si, mas micro dicas de como melhorar sua narração, como interpretar melhor, etc.

Financiamento Coletivo

Awaken (Fábrica Editora, via Catarse)

Você tem menos de 10 dias para ajudar esse financimento, da Fábrica Editora, a bater sua meta. Awaken é um jogo Croata de Fantasia sombria, ricamente ilustrado e desenvolvido pela Games Collective, e agora está em campanha de financiamento coletivo, buscando viabilizar a produção de sua versão nacional.

Mouse Guard RPG (Retropunk Publicaçãoes, via Catarse)

E hoje (dia 10/09) começa o financiamento da versão brasileira desse belíssimo jogo que é o Mouse Guard, trazido pela Retropunk Publicações. As recompensas do primeiro dia de financiamento são limitadas e muito boas (com R$100,00 você obtém Caixa + Livro Básico + Escudo + Mapa de Papel + Bloco de Fichas de personagens (50 fichas) + Bloco de Fichas do Mestre (25 fichas) + 20 Dados Temáticos + Suplemento + 4 baralhos).

Karyu Densetsu (Thiago Rosa Shinken, via Catarse)

Ajude o financiamento desse RPG nacional (já garantido) a bater masie mais metas. Karyu Densetsu é um RPG de mesa baseado em animes e mangás de ação, principalmente os seinen. É um jogo sobre combates táticos, conversas filosóficas e ideais apaixonados. É um jogo sobre a alma humana, sobre como ela é o combustível de paixões e a arma mais poderosa de todas.