RPG do Mestre
Artigos

O mundo de Alter Ego, Terra 3600: parte 1

A partir desse ano de 2021, começarei a fazer um diário de game design sobre a criação dos dois primeiros cenários de Alter Ego: Terra 2037 e Terra 3600. Como Terra 2037 será abordado no primeiro livro de ficção ambientado no cenário, o Dackers, A Presença, começarei falando sobre a Terra 3600.

Atenção Essa é o terceiro artigo de uma série falando sobre o mundo do cenário Terra 3600, daqui do RPG do Mestre. Caso queira ler mais, veja a página dedicada do cenário

Dos anos 2200 aos 2600

Hoje, trarei uma visão geral do que aconteceu na Terra entre os anos de 2200 a 2600. Já garanto que a vida não foi fácil, poucos momentos de esperança apareceram para depois morrerem e levarem a humanidade junto. Prepare-se para uma estrada sem volta. Sem mais delongas, eis o que aconteceu:

Anos 2200

Depois de muito sofrer com guerras, doenças e destruição de suas reservas naturais, não era mais possível haver vida na Terra. Por volta dos anos 2200, a humanidade começou a ver os sinais de sua queda. Enquanto que até os anos 2100 a população crescia e chegou ao recorde de 9.3 bilhões de pessoas, em 2200 já estava em números equivalentes a 2005, com cerca de 6.5 bilhões de habitantes.

Os efeitos das ações humana eram tamanhos que nem mesmo os cientistas mais esperançosos acreditavam mais que a vida na Terra pudesse ser salva, humana ou não humana. Algumas poucas e raras espécies de animais conseguiam sobreviver sem ser em reservas. O colapso total era iminente.

A humanidade buscou, por décadas, criar estruturas que garantissem uma extensão de vida no planeta. Com a terra aquecendo cada vez mais, criou-se tecnologia que transformava o calor do planeta em energia elétrica. Calor esse que já beirava os 55 graus Celsius, em média, e já tinha derretido quase tudo das calotas polares. O que restava eram alguns icebergs no Pólo Sul.

Anos 2300

Já por volta de 2300, a população já estava com números dos anos 1975: 4 bilhões de pessoas. Essa queda vertiginosa de população se dava pela escassez de comida, em que a produção, mesmo com a população diminuindo, não era capaz de acompanhar a quantidade necessária para alimentar toda os seres humanos.

Muitas e muitas pessoas morriam diariamente, principalmente em países mega populosos, como a China e a Índia. Como essa redução populacional acontecia em todo o mundo, esses dois países continuavam sendo os dois com a maior quantidade de pessoas.

Anos 2400

Essa tendência de declínio da população continuou por muito tempo, passando inclusive pelos anos 2400. Nesse século, a população estabilizou em um número equivalente ao da década de 1950: 2.5 bilhões. As pessoas estavam muito receosas em gerar outras pessoas e colocá-las em uma situação tão complicada como a que estavam passando.

A população estava ficando mais velha, trabalhando por mais tempo e tendo menos filhos. Juntando isso à sociedade mundial passando a criar moradias debaixo da superfície da Terra, fez com que a população voltasse a ter alguma esperança de que a vida voltaria a ser como nos anos 2010, 2020... Ledo engano.

Anos 2500

A população mundial teve, por muito tempo, sua população estabilizada. A humanidade, vivendo abaixo da superfície quase que por completo, estava acreditando que poderiam voltar a crescer e evoluir.

Mesmo com toda a queda populacional, diversos avanços tecnológicos surgiram, principalmente voltados para a criação de comida sintética e animais clonados que também serviriam de alimentos.

Outro grande avanço foi na construção civil, onde ténicas de criação habitacional debaixo da superfície evoluiu ao ponto de conseguir criar os Arranha Núcleo: prédios tão grandes e que iam tão abaixo da superfície que lembravam os Arranha Céu de outrora.

Infelizmente, nenhum desses avanços focava no estrago que já estava feito na superfície e acima. A temperatura "lá em cima" continuava aumentando. Já não existia mais um sinal sequer de gelo em qualquer lugar. As imagens que se tinha era que tudo estava ficando seco e desertico.

Ainda existiam algumas regiões, como a região Amazônica, algumas selvas no continente Africano e também florestas em regiões Indo-chinesas com traços de vida. Mas nada muito animador. Apenas alguns poucos com recursos suficiente ainda se arriscavam a ir nesses lugares e trazer exemplos da fauna e flora local que ainda davam sinais de persistência.

Anos 2600

Próximo da virada do século, a Terra voltou a dar péssimos sinais. A insistência da humanidade em querer achar saídas ou soluções sem resolver os verdadeiros problemas, continuou causando danos ao planeta. E, agora, a humanidade estava na iminência de começar a pagar o preço.

Devida a alta temperatura externa, os oceanos, que ainda existiam graças as geleiras derretidas em séculos anteriores, já não eram mais capazes de "segurar" as atividades vulcânicas de vulcões outrora adormecidos.

Águas estavam ficando cada vez mais quentes, começando a tornar a vida abaixo da superfície mais difícil. Tremores de terra eram cada vez comuns e nem mesmo a vidade subterrânea estava sendo capaz de reduzir os desafios que esses tremores traziam.


No próximo texto, trarei o que acontece a partir dos anos 2700 até por volta dos anos 3300. Pretendo trazer um texto desses por semana (uma vez ou outra 2 textos, quando estiver de férias). Espero que curtam a história da Terra 3600 e que possamos melhorá-la juntos.

Até a próxima!